País alienado

Jorge Roriz – 24/10/2007 – Publicado no Correio da Bahia

Vejo meu país rico e seu povo pobre. A juventude alienada, sem ideal, sem ética, sem esperança e com deficiências graves no ensino. Sei que os erros do presente governo terão conseqüências nas gerações futuras.

Lembro do sangue derramado por todos os que deram sua vida para que pudéssemos ter um país melhor enquanto estamos caminhando para o pior.

Não vejo perspectivas de avanços para os próximos 20 anos.
Observo o silêncio dos que, para defender seus empregos, indicados por cargos políticos, tratam os que contestam esta situação como alienados.
Nunca vi tanta violência. Nunca vi tanta corrupção e mentiras. Alguns estão anestesiados pela esperança, pela desculpa de que no passado isto já ocorria e que as coisas estão melhorando.

As mães brasileiras estão colocando seus filhos nos esgotos, no lixo ou vendendo. Os pais não sabem se seus filhos, quando saem de casa, vão voltar vivos. Balas perdidas recebemos até dentro de casa. Espero que eu possa terminar este texto. Não sei em qual segundo a bala pode me afetar.

Enquanto você se agasalha na sua cama, milhares de brasileiros morrem nas ruas até mesmo incendiados por jovens de classe alta que, sendo desumanos, se divertem matando. Grande parte de nossas crianças está se prostituindo ou trabalhando, sem infância.
Os idosos? Usam toda a sua aposentadoria apenas para comprar remédios e vivem pendurados com juros bancários de empréstimos facilitados pelo governo ou empresas legalizadas que fazem extorsão com juros impagáveis. Os bons alunos são malvistos. No ensino público os professores fingem que dão aula e os alunos fingem que aprendem.

Os homens de bem estão sendo ridicularizados porque são honestos.
Estão querendo tirar a liberdade da imprensa, a privacidade dos cidadãos, desmoralizar e fechar o Congresso Nacional, mudar nosso sistema para algo pior em nome da “igualdade”.

As riquezas do Brasil estão sendo roubadas pelos estrangeiros, que estão ocupando nossas terras, (principalmente da Amazônia), disfarçados de ONGS internacionais.

Se a educação fosse melhorada hoje, demoraria dez anos para dar frutos.
A humanidade está próximo de uma grande catástrofe. Não digo por ser profeta; são conclusões dos cientistas. Estamos destruindo o nosso planeta. Animais, plantas, ar, água. E nada ou quase nada está sendo feito para evitar o pior.

Jorge  Roriz
Publicado no Jornal Correio da Bahia – 24.10.2007

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jorge Roriz