Glossário de Perfumes

Fragrância nuance, notas, acordes, bouquets. Todas essas palavras  e muitas outras  fazem parte do glossário do fascinante universo da perfumaria. Conheça algumas antes de se perfumar para o próximo compromisso…

Glossário de A a Z

Acorde: Uma combinação de várias notas que compostas entre si se transformam em fragrâncias. Um acorde pode ser também uma fragrância não acabada que está em processo de criação.

Bouquet: Palavra de origem francesa, que expressa uma mistura de notas florais, normalmente presentes no “corpo” da fragrância. Um bouquet traz beleza e feminilidade ao perfume.

Criação: O poder de criar um novo “cheiro” a partir da composição de diferentes matérias primas, usando tecnologias da perfumaria para enriquecer e dar exclusividade ao perfume.

Destilação: É o processo mais simples utilizado para flores cujo óleo essencial é mais volátil. Consiste em submeter as plantas à fervura até a evaporação completa da água, deixando o óleo decantar. Pode ser a vapor ou a vácuo.

Enfleurage: Mesmo depois de colhida, a flor continua a produzir óleo. Neste caso, utiliza-se o processo de enfleurage, que é a extração. Normalmente se usa gordura animal ou vegetal como solvente. Pétalas de flores são espalhadas sobre placas de vidro cobertas com esta gordura que irá dissolver o óleo. Quando a placa está saturada, o óleo é então separado da gordura por processo de extração.

Fixação: A propriedade que uma fragrância tem de prolongar a vida de seu odor e dar continuidade ao mesmo.

Grasse: Cidade situada na região da Provence, França, que por muitos anos foi responsável pela produção das principais matérias-primas para a perfumaria no mundo.

Herbal: Nomenclatura usada principalmente para fragrâncias masculinas ou usadas para produtos de banho e limpeza. As notas herbais são provenientes de matérias-primas como as coníferas, pinho e até mesmo a lavanda.

Intensidade: A potência relativa de impressão de uma fragrância. O cheiro que permanece na pele por mais tempo.

Jasmim: “A manteiga é para as docerias o que o jasmim é para as perfumarias” (Brillat Savarin, escritor e gourmet do final do século XVIII). Conhecido como a “flor rainha” da perfumaria, o jasmim dá “corpo” ao perfume, riqueza e muita feminilidade.

Lavanda: Matéria-prima tradicionalmente usada na composição de perfumes, muito difundida no Brasil. Nativa da Costa Mediterrânea Francesa, hoje é uma das plantas mais utilizadas nas composições de aroma-terapia e produtos corporais, por conta de seu aroma exclusivo herbáceo, mas fresco, com um toque aveludado de notas florais. A lavanda tem um balanço perfeito e promove relaxamento e bem-estar.

Maceração: Processo de maturação da fragrância na base do produto.

Nuance: Lembrando da estrutura de uma fragrância, distribuída entre notas de saída, corpo e fundo, podemos afirmar que há uma evolução das notas nas diferentes etapas de evaporação. A percepção olfativa (não técnica) não distingue as notas separadamente, mas capta as nuances das combinações destas notas, no todo do perfume.

Oxidação: Numerosos componentes das essências são sensíveis à ação do oxigênio atmosférico ou mesmo presente nas matérias-primas. Esses fenômenos de oxidação são catalizados pelo calor ou pelas contaminações por íons metálicos.

Pesado: Fragrâncias compostas por notas olfativas mais encorpadas, geralmente doces ou balsâmicas, que dão “volume” ao perfume. A percepção do “pesado” pode estar relacionada ao gosto pessoal de cada um (por exemplo, em algumas afirmações de consumidores como perfumes mais sensuais ou doces) ou diretamente à composição do perfume.

Química: É a ciência que estuda a composição das matérias-primas e suas propriedades, a interação entre elas na criação do “cheiro”, a interação da base no produto e a fragrância aplicada (por exemplo, as bases para sabonete, amaciante, shampoo, detergente em pó são diferentes entre si e interagem com a fragrância de formas distintas.)

Resinas: Originárias de fissuras feitas em plantas ou cascas de árvores, são substâncias viscosas que promovem aos bálsamos notas doces e algumas vezes coníferas como o pinho. Muitas vezes, as resinas precisam ser aquecidas antes de serem utilizadas.

Substantividade: É a absorção de perfumes na pele. A formulação do produto também influencia a subjetividade da fragrância.

Temperatura: As fragrâncias devem ser mantidas entre 12° e 15°Celsius para melhor conservação. O perfume jamais deve ser exposto diretamente à luz.

Ungüento: Produto pouco consistente, de uso externo, pomada.

Volatilidade: A volatilidade da fragrância depende principalmente de sua composição de matérias-primas, que possuem características químicas e moleculares bem diferentes. Normalmente, as fragrâncias frescas ou águas de Colônia são mais voláteis pois as notas cítricas e leves são predominantes na sua composição.

Zelo: zelar pela integridade da fragrância.