Caso Marielle – O crime confesso de Bolsonaro e outros crimes relacionados

Ricardo Athayde Filho  ( publicado via Facebook)

FATO 1- No dia 14 de março de 2018 foram assassinados a tiros Marielle e o motorista Anderson Gomes a assessora Fernanda Chaves saiu ilesa o que já é estranho pelas características do crime.

FATO 2- No dia 12 de março de 2019 foram anunciados os nomes dos criminosos, o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa e o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz e nesse mesmo dia as equipes comandadas pelo delegado GINITON LAGES, titular da Delegacia de Homicídios da capital, vasculharam os dois andares da residência de Roni Lessa localizada no Condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, na busca foram usados detectores de metais, os policiais buscaram fundos falsos em todo o terreno e na casa, tiraram telhas e vasculharam até à caixa-d’água, à procura de possíveis esconderijos de armas e munição. De lá foram LEVADOS COMPUTADORES, documentos e um cilindro de plástico e o mesmo foi feito na casa de Élcio Queiroz, no bairro do Engenho de Dentro.

FATO 3- No dia 13 de março de 2019, dia seguinte da prisão dos assassinos o governador Wilson Witzel anuncia o afastamento do delegado GINITON LAGES -responsável pela primeira fase da investigação- dos trabalhos na segunda etapa da apuração sobre os crimes alegando ser A PEDIDO do próprio delegado que faria um intercâmbio na Itália por 4 MESES e desde então a coisa esfriou até a “briga” entre Witzel e a família Bolsonaro que paizinho afirmou poderia ser o início do fim do clã Bolsonaro, e não afirmei de forma leviana, todos sabem da ligação entre a família e os milicianos acusados e já presos pelo assassinato da Marielle e do Anderson, todos sabem que eram vizinhos, todos sabem das homenagens que a família prestava para essa gente, todos sabem que a família queria regulamentar as milícias, todos sabem a proximidade registradas em fotos da família com essa gente e todos sabem que o Governador é o CHEFE das polícias em seu Estado dai o porquê da minha afirmação.

 

FATO 4- No dia 13 de outubro de 2019 a Polícia Civil perdeu imagens dos assassinos no dia do atentado. Dito isso e colocado em seu devido tempo, faço umas perguntas a quem de interesse. Reviraram a casa do Lessa do terreno a caixa d’água E POR QUE NÃO PEGARAM O COMPUTADOR DA RECEPÇÃO COM TODO O REGISTRO DE ENTRADAS E SAÍDAS DO MELIANTE? AFIRMO. Isso seria o óbvio até mesmo para mostrar que no dia e hora do crime, Lessa não estava em casa, então não preciso ser especialista para mostrar o óbvio e basta que agente lembre das buscas que fazem em gabinetes de parlamentares mesmo depois de um ano do suposto crime.

 

Agora chego onde quero e nos dias de hoje e de novo com uma pergunta. Se o registro de entradas e saídas do condomínio se tornaram peça importante da investigação – e lembro que estão atrás dos mandantes-, como esses registros são passados para a família do Bolsonaro? Quem passou esses registros? Quem foi buscar? Por que o MP não se antecipou? Por que o equipamento não foi periciado antes? AFIRMO> Se é verdade que Bolsonaro recebeu esse material conforme ele mesmo afirma, estamos diante de vários crimes, de BOLSONARO , um deles é o Crime contra a Administração da Justiça VULGO OBSTRUÇÃO DE JUSTIÇA que faço uma pausa para explicar. -“Crimes contra a Administração da Justiça – O delito é conceituado como o ato de impedir ou embaraçar investigação penal que apura organização criminosa, sendo que pode ser cometido por qualquer pessoa. Assim, se um indivíduo que tem contato com determinada organização criminosa, ao tomar conhecimento da existência de uma investigação que a apura, passa a utilizar mecanismos que consigam obstrui-la, de forma que ela se torne confusa, ou mesmo não consiga mais evoluir, ele estará praticando o delito.

A mera intenção de querer impedir uma investigação não faz o crime acontecer, ou seja: não basta que a pessoa queira atuar contra, ela tem quede fato impedir ou embaraçar os trabalhos da investigação.O crime é considerado como equiparado à organização criminosa e quem o comete responde nas mesmas penas daqueles que integram a organização, que são de 3 a 8 anos de prisão e multa”.(fonte Politize). Explicado isso deixo claro que o simples acesso ao material deixa claro que esse crime foi cometido. Há ainda o crime do uso do Estado para fins pessoais e ai já falamos de crimes de responsabilidade, de interferência ilícita em apuração criminal, voltada assumidamente a resguardar interesses pessoais e familiares, exorbitando das competências do cargo exercido. Um terceiro crime se caracteriza “formação de quadrilha” na busca desse material, já que não foi pego pelo presidente, alguém pegou e torço que não tenha sido a PF a mando dele o que caracterizaria um crime ainda pior.

Vou parar por aqui para que o texto fique compreensível sem muito juridiquês que daqui para frente teria que usar, fato é que se confirmado o que o próprio Bolsonaro disse, o caminho para o impeachment está aberto e aqui nem precisa o clamor popular mas somente que o Congresso e a justiça façam sua parte e é claro que há também elementos que acredito incriminem o Witzel, o MP e até a cúpula da policia mas deles falo em outro post para não perder o foco. Uma última pergunta, 7 meses se passaram do afastamento que seria de 4 meses do delegado Giniton Lages, por onde ele anda? 🤔 OS FATOS ESTÃO COLOCADOS, AGORA É COM OS MAGISTRADOS E O CONGRESSO. PONTO.😉ATUALIZANDO 23:15. SERÁ QUE O PORTEIRO ESTÁ SEGURO?🤔

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.