Proibição de “comemoração” foi inútil a Ordem do dia foi lida

No último dia 25, o presidente da República, Jair Bolsonaro, determinou ao Ministério da Defesa que fizesse as “comemorações devidas” da data, quando um golpe militar derrubou o então presidente João Goulart e iniciou um período ditatorial que durou 21 anos. Antes da decisão da Justiça Federal, o Comando Militar do Planalto já havia realizado nesta sexta-feira uma cerimônia para relembrar a data. O evento realizado em Brasília, contou com a presença do comandante do Exército, general Edson Leal Pujol.

A “comemoração” pedida por Bolsonaro foi ler a Ordem do dia

Deixe uma resposta