A perseguição da justiça contra o ministro da Suprema Corte

O procurador Julio Marcelo de Oliveira defendeu a análise da Receita sobre os negócios de Gilmar Mendes:

“Toda autoridade pública deveria estar sobre escrutínio permanente de sua movimentação financeira e evolução patrimonial. Se está tudo correto, o ministro não deveria estar preocupado. Numa república, a autoridade mais elevada é o cidadão.”

A preocupação não é com os dados que serão investigados e nada deverá ser encontrado. A preocupação é com a investigação ilegal e escárnio público. A preocupação é com a perseguição a um ministro por ele defender a lei e a constituição e contrariar os justiceiros que usam a justiça de forma seletiva e política.

“A Receita não pode ser convertida numa Gestapo ou num organismo de pistolagem de juízes e promotores”, disse Gilmar. “Agora, se eles fazem isso com ministro do STF, o que não estarão fazendo com o cidadão comum?”, afirmou Gilmar Mendes.
Se os métodos usados fossem os mesmos, Carlos Bolsonaro estaria em situação insustentável

É PARA INVESTIGAR? INVESTIGUEM A TODOS DE FORMA IGUAL, MAS DENTRO DA LEI.

O DEPUTADO CARLOS BOLSONARO TENTOU IMPEDIR UMA INVESTIGAÇÃO CONTRA UM ASSESSOR DELE E CONTRA ELE.
NÃO VI O PROCURADOR JÚLIO AFIRMAR A MESMA COISA
JORGE RORIZ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.