Supremo pode liberar Lula para regime semiaberto

Apesar da nova condenação (sítio de Atibaia – 12 anos e 11 meses) Na Segunda Turma do STF, onde Lula será julgado, o comentário entre os ministros é que as penas atribuídas a Lula são excessivas, porque ele teria sido condenado por um mesmo fato duas vezes – o que, por lei, é proibido. O petista foi enquadrado em corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Para alguns ministros, seria possível excluir da condenação o crime de lavagem. Assim, com a pena total diminuída, o ex-presidente pode receber o benefício de progressão de regime, porque já teria cumprido um sexto da pena.
Informações do Correio Brasiliense

“Essa é uma sentença ilegal. Não se baseia em provas. Não existe previsão, na legislação brasileira, que alguém seja condenado somente com base na palavra de delatores”, disse a presidenta do PT Gleisi Hoffman.

Deixe uma resposta