Dodge diz a Fachin que suposto crime de Temer é de corrupção

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em parecer enviado ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta segunda-feira, pede que o ministro reveja sua decisão de enviar à Justiça Eleitoral as investigação contra Padilha e Moreira.
Fachin ao examinar o processo não viu indícios de crime penal e sim eleitoral

Dodge argumentou que os pagamentos feitos pela empreiteira Odebrecht ao presidente Michel Temer e aos ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, de Minas e Energia, configuram crime de corrupção passiva praticado em conluio, e não crime de caixa dois eleitoral.
A sede de Raquel Dodge de punir Temer é tão grande que ela quer a reconsideração da decisão já tomada por Fachin.

Deixe uma resposta