Bolsonaro x índios: “O nosso projeto é fazê-lo igual a nós”

O eleito presidente, Jair Bolsonaro (PSL), disse neste sábado (1º), em Resende, que irá acabar com a política equivocada “indigenista e ambiental”.

“Eu acredito na ciência e ponto final. Mas o que a Europa fez para manter as suas florestas e as suas matas ciliares? E querem dar palpite aqui?”, afirmou Bolsonaro, em Resende (RJ), após cerimônia de formatura de aspirantes a oficial na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), que se formou na mesma instituição há 41 anos.

“Cada vez que um governo do passado saía para fora do Brasil, ele recebia de forma passiva e servil pressões por demarcações de terras indígenas. Eu quero o bem estar do índio. Quero integrá-lo à sociedade. O nosso projeto é fazê-lo igual a nós. Eles têm as mesmas necessidades. Ele quer médico, dentista, televisão, internet”, disse o futuro presidente. “Eu fui, nas minhas andanças, ao Acre e à Rondônia. Em torno de 20% apenas dessas áreas podem ser usadas em benefício da população local. E 80% não. Isso está errado.”

Bolsonaro estava acompanhado do vice-presidente Hamilton Mourão; do general Fernando Azevedo e Silva, confirmado para o Ministério da Defesa; do general Augusto Heleno, que assumirá o Gabinete de Segurança Institucional; do ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, que comandará a Casa Civil; e do governador eleito no Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Nem todos os índios desejam ter vida de “homem branco”. e nenhum índio é impedido de ter uma vida normal integrado na sociedade, trabalhando, frequentando faculdades, morando em centros urbanos.

ISSO É UMA ESCOLHA DELES E NÃO DE BOLSONARO.

TEM ÍNDIOS QUE DESEJAM SE MANTER NA ALDEIA, OUTROS NÃO

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.